A HISTÓRIA DO ESCOTISMO EM BRAGANÇA

Em 1917 após o escotismo mundial completar 10 anos de sua real e total existência, Bragança Paulista, não ficou atrás e trouxe para sua cidade o que o ser humano podia criar de melhor para o mundo o "Escotismo". Abril daquele ano quando o professor Luiz Gonzaga de Vasconcellos Nardy, adepto Movimento escotista, com anuência do diretor do Grupo Escolar Dr. Jorge Tibiriçá, iniciou uma campanha de divulgação daquele movimento junto ao alunado do estabelecimento de ensino. Criou-se naquela escola, o primeiro Núcleo de escoteiros de Bragança Paulista, tendo o prof. Luiz Nardy como seu primeiro Instrutor dos princípios básico do escotismo. Organizada a primeira turma de escoteiros fundou a Associação de Escoteiros de Bragança – AEB, tendo sede no Grupo Escolar Dr. Jorge Tibiriçá.

O governo paulista, desejando criar uma Associação de Escoteiros nas escolas do Estado, pela sua diretoria Geral de Instituição Pública, expediu em 31/8/1917 circular aos diretores escolar. Já tendo sido formada anteriormente no G.E "Dr. Jorge Tibiriçá" a AEB, restava somente oficializá-la.

No dia 5 de novembro , na residência do Cel. João Leme, Presidente do Diretório Político, organizou-se a comissão Executiva de Escoteiros, formada por Cap. Jacinto Prado, vice-presidente do Diretório Político; Dr. Afonso Celso de Paula Lima, delegado de polícia; Francisco Jarussi e prof. Antonio Francisco Redondo, diretor do G.E Dr. Jorge Tibiriçá. Resolveu a comissão, para que no dia da inauguração daquela Sociedade em Bragança, fosse feita uma conferência por um delegado ou membro da Associação Brasileira de Escoteiros com o tema "Escotismo no Brasil". ("O Imparcial", nº58, ed. De 06/11/1917).

A primeira Tropa de escoteiros bragantinos era mantida por sócios, de início constituído por 116 pessoas entre homens e mulheres. Em 21/7/1918 em reunião da comissão é elaborado o estatuto da "A.E.B" é formada a primeira diretoria da Associação, assim constituída: presidente, Cônego José Carlos de Aguirre; vice-presidente Dr. Nicolau Asprino; 1º secretário, prof. Joaquim Theodoro da silva (prof. Quinzinho); 2º secretário, prof. Luiz Gonzaga de Vasconcellos Nardy. ("O Imparcial", nº 173, ed. De 7/8/1918). "A.E.B" é filiada à Fundação Brasileira de Escoteiros ABE, em São Paulo e para dar necessária instrução militar aos escoteiros bragantino, veio para esta cidade, o sargento Benedito Fagundes, membro da Força Pública do Estado. Os exercícios eram efetuados no G.E "Dr. Jorge Tibiriçá". A educação física estava a cargo do sargento Manoel José de Souza cujos exercícios eram dados a 100 escoteiros aproximadamente. Nessa escola o Escotismo existiu até por volta do ano de 1930. 1946: Associação Bragantina de Escoteiros

Em fevereiro de 1946, sob a direção de Nestor Gonçalves, é reativado o movimento escotista, com a fundação da Associação Bragantina de Escoteiros – A.B.E., com sede à Rua Cel Leme, nº 55 (atual nº 140).



  Matéria Jornalística da época da fundação da Associação Bragantina de Escoteiros

As finalidades eram de reunir a mocidade bragantina para uma disciplina construtora. A idade mínima era de 7 anos e a máxima 17. Na época, o movimento contou com estímulo de destacadas pessoas da cidade: Marcelo Stefani, interventor municipal (prefeito); prof. Lamartine de Moraes Rosa, diretor do G.E. José Guilherme; dr. João Marcílio , advogado e jornalista; sgto. Odilon Quadros, instrutor do Tiro de Guerra; dr. Felipe Siqueira Neto, fazendeiro e Zeferino Vasconcellos Filho, jornalista (que foi escoteiro nos anos de 1921-1925). Dentre os primeiros inscritos na novel Associação Bragantina, destaco os nomes de: Daniel Peluso, Carlos Fernandes Gomes, Ariovaldo de Oliveira, Lincoln Arnaud, Manoel Marques, Luiz Antonio Santangelo, Mauro Ramalho de Oliveira, João Moraes, Reguinel de Oliveira, Celso Piegaia, Elvio Alvarez Santiago, Rinaldo Sonsin, Jovair Duarte, Edson Rosa, João Contreras, Luiz Gonzaga de Moraes Leme, (escoteiros); Iolanda Pacitti, Mariângela Pimentel e Terezinha A. de Moraes (bandeirantes).

Por iniciativa do prof. Lamartine de Moraes Rosa, em março daquele ano, é fundada a Comissão de Escoteiros "José Guilherme" com sede no referido estabelecimento de ensino, no recém inaugurado prédio no Bairro do Lavapés, e tendo como chefe-instrutor o Sr. Nelson Gonçalves. No mesmo ano de seu ressurgimento, dentro das comemorações da semana da Pátria, no desfile do dia 7, pela primeira vez, tomaram parte os escoteiros representantes da Associação Bragantina e do Núcleo José Guilherme. O número de filiações – de ambos os sexos – à Associação Bragantina, crescia pouco-a-pouco, o que propiciou em abril de 1947 à ABE, ser dividida dois núcleos, denominados: "Prof. Luiz Nardy", sediado à rua Cel Leme, nº 4 e 'José Guilherme" com sede no G.E. José Guilherme. A Associação Bragantina tinha sua biblioteca, e como órgão oficial o jornal "Flor de Liz".

Em julho de 1947, o chefe Nestor Gonçalves – Chefe-geral dos escoteiros bragantinos, foi pela presidência da federação Paulista de Escoteiros, nomeado para o cargo de Delegado Técnico da Federação, junto a ABE. Em agosto daquele ano, a ABE pertencente ao Distrito de Bragança, da Região de São Paulo, tinha como comandante-geral, a chefe Celina M. Kawall, indicada pela Presidência Regional. Nesse ano foi criado o Departamento Feminino, vinculado a Diretoria da Cia. de Bandeirantes, dirigida por Benedita Gonçalves e outras senhoras, agregadas ao movimento como "bandeirantes" "A.B.E" é, desde sua fundação, filiada a "União dos Escoteiros do Brasil – UEB". Fotos Históricas do Movimento Escoteiro Bragantino.

jundiai 1946jundiai acantonamentojundiai jose guilhermemaracanamaracana atibaiaponte


1960: Grupo Escoteiro Pinhalzinho

logo Pinhalzinho

No município de Bragança Paulista, num vilarejo que hoje é a cidade de Pinhalzinho, se formou o Grupo Escoteiro Pinhalzinho, no ano de 1960. Nessa época, a chefia era de responsabilidade de um militar, Sr. Sebastião Fraga. Alguns meses depois após a formação do grupo, em função de problemas de saúde, o mesmo mudou-se da localidade, e a experiência escoteira acabou durando menos de um ano.

Na curta existência desse grupo, várias atividades foram realizadas em conjunto com um outro grupo escoteiro da cidade de Socorro. Reuniam-se uma vez por semana, na casa do Chefe Fraga (próxima à Igreja velha, na atual cidade de Pinhalzinho), de onde planejavam todo tipo de atividades escoteiras. Chegaram a possuir uma fanfarra, com aulas recebidas de um professor, e participaram de vários desfiles. Esses dados foram obtidos por um senhor que participou desse Grupo como escoteiro, "José Marcelo Torricelli".

ge pinhalzinho 1960


1983 - GRUPO ESCOTEIRO JAGUARY

logo JAGUARY

Por iniciativa de José Carlos Corrêa Korte e sua esposa Annette Moreira Corrêa Korte, em abril de 1983, inicio-se o projeto de formação de um grupo escoteiro em Bragança Paulista. O escotismo estava desativado na cidade desde a década de 1940, quando fechou o Grupo Escoteiro José Guilherme. A família Korte possuía conhecimento em escotismo, que foi adquirido na participação em outros grupos escoteiros, de outras regiões. Durante os meses de Abril e Maio de 1983, foram realizadas consecutivas reuniões na casa da família Korte, com o objetivo de estudar a viabilidade da criação do novo grupo. Durante o mês de maio e início de junho, a equipe agendou a primeira palestra informativa. Para ministrar a palestra foram convidados representantes da UEB/SP e o grupo escoteiro Tipirjara da cidade de Itatiba. Para a divulgação foram vinculados convites a população através das rádios e jornais da cidade. Também com a ajuda do Dr. Geraldo Payão, foram enviadas mais de 100 cartas a autoridades, empresas e cidadãos bragantinos. A data agendada para a palestra foi o sábado, dia 25 de junho de 1983, nas dependências da Casa dos Médicos, gentilmente cedida pelo presidente desta entidade, Dr. José Josefran Berto Freire.

José Carlos Corrêa Korte escreveu sobre a palestra informativa: "...No dia e hora pré-estabelecida estava a minha família e eu apostos na Casa dos Médicos a espera das Autoridades e demais interessados no escotismo. O Grupo Escoteiro Tapirjara expôs em resumo o que vem a ser o escotismo. Os chefes que representam muito bem UEB, chefe Almir e um irmão escoteiro da Associação dos Antigos Escoteiros, foram felicíssimos em sua exposição, pois foi o suficiente para inflamar a todos os presentes. O Sr. Ayrthon Athanásio com o fim exclusivo e sincero de conhecer algo com referência ao escotismo metralhou-os com perguntas. No final da reunião tomou a palavra o Sr. Ayrthon Athanásio, nosso mui querido Vice-Prefeito e convidou a todos para uma reunião no Gabinete do Prefeito..."

No dia 4 de julho de 1983, a Comissão Executiva Provisória (CEP) enviou toda a documentação necessária a UEB para a abertura do grupo, bem como a solicitação da autorização provisória para poder iniciar suas atividades. O reconhecimento e a autorização provisória para funcionamento foi emitida em de 16 de agosto de 1983.

Os dirigentes iniciaram as atividades no final de agosto de 1983. Também iniciaram a procurar patrocínio para a obtenção dos materiais dos necessários. O professor Amaury Sodré da Silva fez a doação das bandeiras do Brasil, São Paulo e do município. O Sr. Ayrthon Athanásio primeiramente preocupou-se em conseguir uma sede, Cedeu ao grupo provisoriamente algumas salas na União dos Ferroviários, entidade onde ele era presidente. Depois conseguiu o patrocínio de uniformes para os jovens que não podiam comprar.

Estando o grupo autorizado a funcionar e seus chefes realizados os primeiros treinamentos, A Comissão Executiva intensificou a busca de jovens. As inscrições eram realizadas na sede temporária do grupo, localizada no Tiro de Guerra. Também se iniciou a busca de doações de cidadão e empresários, com objetivo de adquirir equipamentos necessários, bem como uniformes para os que não podiam comprar.

Os dirigentes também começaram a buscar um local para realizar o primeiro acampamento e acantonamento, local onde seriam feitas as primeiras promessas dos jovens. Após muitas procura foi definido o sítio do Dr. Natal Bonucci, sendo que esta sugestão veio do pai do jovem Leandro Ximenes.

O primeiro acampamento foi realizado entre os dias 12, 13,14 e 15 de novembro de 1983, no sítio do Dr. Natal Bonucci. Estavam presentes os membros do Grupo Escoteiro Paineiras, chefiados por João Corrêa. A UEB estava representada pelo Comissário do Distrito de Jundiaí. Também estavam vários convidados e os pais dos jovens. No último dia do Acampamento foram realizadas as promessas de 19 jovens, portanto esta data também é a data de fundação do Grupo Escoteiro Jaguary (134/SP).



 

GRUPO ESCOTEIRO BRAGANÇA PAULISTA (GEBRAPA) - 305/SP
Praça Hafiz Abi Chedid s/n°. Atrás da Câmara Municipal.
Bragança Paulista/SP - Brasil
email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.